Areas de Intervenção

Consulta da memória

Consulta da Memória

Os problemas de memória são uma das consequências mais frequentes de alterações neurológicas resultantes de acidentes, doenças ou do envelhecimento.

Esta consulta visa avaliar e reabilitar as funções da memória, e destina-se a adultos (jovens, de meia idade ou idosos) que apresentem situações como:

– Dificuldades de memória no dia-a-dia;

– Mudanças da memória relacionadas com a idade (para garantir um envelhecimento saudável);

– Pessoas em fase pré-diagnóstico de demência ou outras condições degenerativas que procuram um acompanhamento especializado;

– AVC (trombose/isquemia ou hemorragia cerebral)

– Traumatismo Crânio-Encefálico;

– Pessoas com historial de Epilepsia;

– Intoxicações por substâncias como monóxido de carbono, ou outras situações que resultem na privação de oxigénio pelo cérebro;

– Tumores cerebrais;

– Uso prolongado de álcool e/ou drogas (incluindo medicamentos);

– Entre outras.

Quais os objetivos da consulta?

– Avaliar de forma rigorosa se a memória está a funcionar de acordo com o esperado para uma pessoa saudável da mesma idade, e com o mesmo grau de escolaridade;

– Detetar precocemente alterações da memória que possam indicar algum problema neurológico subjacente (por exemplo, identificar sinais precoces de demência);

– Intervir, no sentido de retardar e/ou compensar a perda de memória;

– Avaliar possíveis alternativas para os problemas de memória: como luto, depressão, ansiedade, ou outros;

– Referenciar para outras especialidades, por exemplo Neurologia, Psiquiatria;

– Criar um plano de reabilitação individualizado.

Como decorre a consulta?

Na primeira consulta é realizada a entrevista clínica e iniciado o rigoroso processo de avaliação da memória. Um conjunto vasto de testes  permite comparar o desempenho da pessoa com aquele que se deveria esperar para alguém com a mesma idade e escolaridade. Esta avaliação inicial pode demorar várias sessões, de acordo com o perfil do doente.

Terminada a fase de avaliação, será emitido um relatório que incluirá um sumário gráfico facilmente interpretável pela pessoa avaliada e/ou acompanhante(s). Nesse relatório constará também um aconselhamento sobre as etapas seguintes, incluindo, sempre que se justifique, indicações de reencaminhamento para outros profissionais (e.g. Neurologia, Psiquiatria).

Como decorre a intervenção?

A intervenção é individualizada e planeada de acordo com o perfil cognitivo de cada doente, podendo passar por:

– Programa de reabilitação cognitiva;

– Aprendizagem de estratégias compensatórias;

– Aconselhamento familiar;

– Encaminhamento para médico Neurologista ou Psiquiatra.

As perturbações da memória podem ser atenuadas. O acompanhamento especializado pode ajudar. Procure um Neuropsicólogo, na Psike.